Buscar
  • institutoamesuamente

Os adolescentes vivem melhor associados a rotina

Atualizado: Abr 20



Ao longo da vida vamos desenvolvendo rotinas comportamentais como uma forma de organização interna (como melhor qualidade de sono e hábitos de alimentação) e externa (maior produtividade, por exemplo). Além de rotinas comportamentais, nossas vidas também são pontuadas por eventos que acontecem de forma rotineira (para muitos, o salário mensal; para outros, assistir às aulas presencialmente) ou eventual (a visita ao posto de saúde quando é preciso, a ida ao cabeleireiro ou o encontro de domingo na casa dos familiares, por exemplo).


Durante o período da pandemia, nossas vidas mudaram drasticamente, e essa complexa estrutura que existe se transformou. Frente a todas essas mudanças de rotina, é esperado que muitos de nós apresentem algum nível de dificuldade durante o processo de adaptação.


Leia também: Desafios do ensino a distância: é possível superá-los?


Esses acontecimentos tendem a influenciar uns aos outros. Por exemplo, ouvimos muitos relatos de pessoas que começaram a ficar mais tempo acordadas à noite no período da quarentena. Frequentemente, elas passaram a desenvolver hábitos associados, como comer guloseimas, enquanto passavam mais tempo no computador. A fadiga crescente que se instala ao longo do tempo, geralmente, leva à impaciência, que acarreta mais conflitos em casa e mais problemas com o sono, perfazendo um ciclo que pode se agravar com o tempo.

Se você perceber que algum ou mais de um desses eventos vem acontecendo na sua casa, não fique alarmado: isso está acontecendo na casa de muitas pessoas. Não seja tão exigente consigo mesmo.. Afinal de contas, não estávamos esperando por uma mudança de hábitos tão repentina, concorda?


É importante enxergarmos a fala sobre rotina de um ponto de vista sensível, humano, tomando em consideração o quanto é difícil sermos muito rígidos conosco e com os outros nesse período”, alerta o Dr. Gustavo Estanislau, especialista em psiquiatria da infância e da adolescência e membro da equipe de especialistas em saúde mental do Instituto Ame Sua Mente.


É interessante pensar em rotina sob uma ótica razoavelmente flexível, não rígida. Estabelecer um horário fixo para que seus filhos durmam, não permite flexibilidade alguma, em um cenário já bem difícil de se organizar”, pontua. “A sugestão é que, neste caso, os pais estabeleçam uma faixa de horário, ao contrário de fixar um horário único. A flexibilidade demonstra respeito com as pessoas com quem convivemos, levando em conta que nenhuma adaptação é fácil”, sugere Dr. Gustavo.


Precisamos de tempo para que possamos nos reorganizar. Comece com uma análise de todos os aspectos que não estão funcionando bem e, com base em expectativas realistas para este momento, trace um plano de ação. Mas seja paciente consigo mesmo. O momento exige calma e serenidade.


O Instituto Ame Sua Mente promove a discussão sobre o tema da saúde mental no Brasil. Uma a cada quatro pessoas desenvolve problemas relacionados à saúde mental e disseminar informações sobre o assunto, promover diálogos qualificados ajuda a quebrar estigmas e a diminuir a discriminação que muitos pacientes ainda sofrem .Cuide da sua saúde mental e cuide dos seus.


Acompanhe nossas redes, estamos no Instagram, Facebook e no Linkedin. Faça parte desse movimento e use a hashtag #AmeSuaMente.


46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo