Buscar
  • institutoamesuamente

Ansiedade de fim de ano: veja formas para aliviar os sintomas



Final de ano chegando e as cobranças também, fim de semestre na faculdade, Covid-19, fechamento anual no trabalho e toda a típica correria de novembro e dezembro. Além disso, é a época que mais nos cobramos pela metas que não conseguimos alcançar definimos lá no início do ano.  Toda aquela cobrança pelo que precisamos fazer e o que deixamos de fazer por vários motivos, até mesmo, porque uma pandemia global abalou os planos de muitas pessoas. Esses sentimentos podem rolar, mas saiba que são normais e que temos algumas maneiras de aliviar esses momentos angustiantes.


É importante dizer que a ansiedade é uma condição normal do ser humano, seja pela preocupação intensa, respiração mais rápida, sudorese, dificuldade para dormir e receios de situações futuras, entretanto, existem os casos mais graves como transtornos de ansiedade entre outros transtornos mentais, por isso, é sempre bom ressaltar que o acompanhamento de um profissional da saúde nesses casos é indispensável. Veja algumas dicas de hábitos que ajudam aliviar os sintomas da ansiedade e coloque-os em prática para uma vida mais saudável.  1. COMECE BEM O SEU DIA Pense em cada dia como se fosse único e faça dele o melhor que pode fazer! Meditar pode ser uma ótima forma de começar bem o dia. Uma técnica meditativa simples, que reduz o impacto de preocupações excessivas através da priorização da consciência sensorial, pode ser muito eficiente em períodos difíceis.

- Para realizá-la, antes de sair da cama, passe algum tempo…

Observando visualmente 3 coisas - Preste atenção no seu lençol, no lustre do quarto

ou um móvel, por exemplo.

Ouvindo 3 coisas - Preste atenção nos sons de sua respiração, nos sons do trânsito

ou na voz de alguém em outro cômodo na casa, por exemplo.

Sentindo 3 coisas em contato com seu corpo - Sentindo a textura do seu lençol, seu

travesseiro ou da roupa que está usando para dormir, por exemplo. 2. ALIMENTAÇÃO

Neste período, alguns cuidados alimentares devem ser tomados dentro de uma rotina diária.

a. Não se esqueça de se hidratar. Nosso cérebro necessita de água para realizar suas atividades, como raciocinar e regular o humor. A desidratação leva frequentemente ao desânimo e ao fluxo de raciocínio lentificado.

b. Cuidado com alimentos que contenham cafeína, como café, alguns refrigerantes e bebidas energéticas. Por serem estimulantes, esses alimentos tendem a aumentar os níveis de ansiedade, como o aumento da frequência cardíaca e da tensão muscular, por exemplo.

c. Cuidado com as bebidas alcoólicas. Por mais que algumas pessoas acreditem que bebidas alcoólicas sejam relaxantes, na verdade, esse efeito só é momentâneo. Quando ele passa, o álcool funciona como um diurético (levando à desidratação e suas consequências) e tende a elevar a ansiedade da pessoa, num movimento de rebote.

d. Consuma carboidratos complexos (ou de baixo índice glicêmico). Esse tipo de carboidrato, presente em alimentos como arroz, macarrão e pães integrais, frutas frescas, batata doce, mandioca, sementes e vegetais verdes libera energia de forma prolongada ao lentificar a absorção da glicose (nosso “combustível” corporal). Dessa forma, apresentamos menores tendências a flutuações glicêmicas, que frequentemente levam a flutuações de humor. Além disso, esse tipo de alimento aumenta a sensação de saciedade, reduzindo a necessidade de lanches fora de hora e estimulando o metabolismo.

e. Alimente-se regularmente, evite jejuns prolongados. Em jejum, apresentamos uma baixa na glicemia corporal. Esta redução dos açúcares tende a gerar um aumento da adrenalina, neurotransmissor ativador” que pode acionar estados de ansiedade.


3. HÁBITOS DE SONO

Uma boa noite de sono é fundamental por uma série de motivos, como, por exemplo, a restituição das nossas energias e o fortalecimento de nosso sistema imunológico. Além disso, no contexto das rotinas, ele é o elemento chave. Por isso, faremos uma série de sugestões que o auxiliarão a dormir bem.

a. Durma apenas o tempo necessário para se sentir descansado. Se com 8 horas já se sente bem, evite dormir mais do que 8-9 horas, mesmo que não tenha compromisso no dia.

b. Crie uma rotina de acordar sempre no mesmo horário, independente se for fim de semana ou não e de ter tido insônia na noite anterior. Então, se o horário estabelecido for oito horas da manhã, policie-se para sempre acordar nesse horário. Você pode passar um dia sonolento, mas isso vai ajudá-lo a regular seu ciclo circadiano (ciclo do sono).

c. Estabelecer horários regulares para dormir também é bastante importante.

Lembre-se de que este horário deve ser mantido mesmo nos finais de semana. Utilize parâmetros viáveis, para que a rotina se estabeleça de forma consistente; é preferível que você determine que 23h é uma boa hora para dormir e 9h uma boa hora para acordar do que estabelecer horários mais “difíceis” que não se concretizem.

d. Se você tem insônia à noite, recomenda-se evitar tirar qualquer forma de cochilo ao longo do dia. Depois que o sono estiver normal, não há problemas em tirar cochilos breves.

e. Busque ter exposição à luz solar logo após se levantar e ao final da tarde.


O Instituto Ame Sua Mente preparou Guias compilando de informações sobre bem-estar e saúde mental como essas listadas acima. Acesse e confira mais dicas.

Acompanhe nossas redes, estamos no Instagram, Facebook e no Linkedin. Faça parte desse movimento e use a hashtag #AmeSuaMente.



92 visualizações

Instituto Ame Sua Mente

Rua Marselhesa, 642

Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04020-060

©2019 por Ame sua mente. Criado com Wix.com